quarta-feira, 30 de julho de 2008

Dormir

As goteiras acalmavam-se nos baldes espalhados pelo quarto. Caiam periodicamente em um ritmo único e incessante. O céu estava tenso, revolto e impaciente, mas não chovia lá fora. A chuva estava toda aqui dentro.

Fechava meus olhos lentamente. Dizem que o barulho da água acalma até as almas mais podres. Dizem que é como retornar ao útero materno. Curioso.

Meus pensamentos se esvaiam enquanto eu imaginava um enorme útero chuvoso. Quando minhas pálpebras finalmente se tocaram, senti um choque inexplicável. O trauma de ser posto pra fora de si mesmo. Os olhos vidrados, cansados, vermelhos e definitivamente abertos.

Podia ouvir vozes dos objetos (in)animados. Os instrumentos falavam comigo. Ressoavam notas docemente enquanto eu compreendia as palavras. Do Ré Mi. Mas eu não queria dormir. Meus olhos nem sequer conseguiam se manter fechados.

A inexplicável maneira em que me mantinha acordada comprimia minha mente. Sentia meu cérebro inchado de pensamentos. Minha cabeça magnetizada por todas as coisas que não conseguia tocar.

Deitei-me na cama e tive um sonho lúcido. Sonhei que dormia por alguns segundos e passava o resto dos minutos dilacerando minha retina com a realidade. Fechava os olhos que jurava estarem abertos.

As gotas cessaram nos baldes, fazendo a chuva cair lá fora. Finalmente as portas da prisão se abriram. Os sonhos invadiram minha mente como a luz do sol que emergia. Tudo se tornou claro, quente, forte. Tudo se tornou real. Era hora de levantar.

3 comentários:

Lu disse...

Sentia meu cérebro inchado de pensamentos.

Isso acontece com frequência..justo na hora que me deito, surge um turbilhão de idéias mirabolantes, aí paro e penso: vou dormir, quando eu acordar, escrevo. Acordo...mas todas as idéias foram apagadas. Basta eu acordar para elas sairem andando. É deprimente ;~

Denii disse...

Quando minhas pálpebras finalmente se tocaram, senti um choque inexplicável. O trauma de ser posto pra fora de si mesmo.

ameeei!!
Vc é ótimaaa!

babi disse...

achei validissimo, e você dizendo que não escrevia tão bem...hum!
adorei *--*