terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Rendição





Nessa cidade estranha
A madrugada das ruas estreitas
(Estamos) Inertes pela cobiça.

Incontáveis garrafas de vinho e cigarros.
Enquanto nos espalhamos sozinhos
Em minha mente.

O frio e o calor aqui dentro
Me inspira (suspiros) e respiro você
Na escolha da dúvida, a inconseqüência.

Através desses olhos
a insistência me fitando
O desejo pungente nesse sorriso.

Na balança, o certo pelo torturante
Enquanto nos envolvemos intimamente
dentro de mim.

Essa visão na minha cabeça
chamando, recordando
(Seu) Cheiro, gosto e som.

Revelo a doce mentira dessa relação
Arrisco e retorno
Pensando em você.

3 comentários:

laurew disse...

Nao sei explicar mas esse texto me faz sentir estranha,indiscutivel q esta muito bem escrito mas esta mais indiferente q o normal sem auquela pota de ironia ou sarcasmo nao sei bem dizer oq....anyways nicely done ^^

Igor Ruim disse...

Muitos tem a arte de escrever palavras, mas poucos tem o dom de tocar com elas.

Tee, mais um texto lindo seu, texto nao, na verdade é dificil escrever, o que nao é somente palavras =D
lindo!

lu disse...

Transborda sentimento ;~