terça-feira, 10 de abril de 2007

Lexotanight (again)

Da janela do seu antigo apartamento era como ver o Bronx. Aquelas ruas semi-mortas e o cheiro fétido de urina. Lixo. Pouco importava, era só uma questão de tempo. Além do mais, qualquer lugar – mesmo que seja num condado nova-iorquino em putrefação – é melhor do que a confortável casa dos seus pais, onde sua mente chicoteava, lembrando que era hora de mudar.

Largou o corpo na cama e sua mente ficou em silêncio. Tiros, prostituição, brigas conjugais e, claro, estupros. Aquele bairro era um câncer.

Ela sabia que não precisava estar ali, mas insistia. Era necessário viver ao lado do perigo para conhecê-lo. Quando lembrava de ligar a TV, assistia aos telejornais e suas informações without feelings. Enquanto viveu com seus pais, só conhecia a violência através das redações bem lidas pelos âncoras em frente às câmeras. Bem, agora só precisava atentar seus ouvidos, ou chegar até a janela.

Tentou adormecer, mas a insônia fazia parte do seu cotidiano. Foi até a cozinha e trouxe um copo d’água. Abriu o criado-mudo e procurou suas pílulas. Tomou três e esperou. O barulho dos tiros e gritos misturou-se no prelúdio do seu sono. A luz vermelho-sangue do letreiro piscava com insistência. Mais um motel barato encaixando-se perfeitamente com a sintonia do bairro pobre. Era incômodo, mas já era tarde para reclamar. Tarde para estar acordada.

9 comentários:

Evil Magus disse...

Você e esses textos... Você escreve muito bem, mas às vezes me dá uma angústia de ler essas coisas...

Lu disse...

O início desse texto me fez lembrar um "quartel" :X

Faz teeempo que não tenho insônia..estou até estranhando O.o

É verdade, blogs incentivam a criatividade..amanha escreverei uns 3 posts, não quero esquecer nada que está em minha mente..mas não irei postá-los todos de uma só vez, não tem graça :P

Tito Augusto disse...

Cada vez melhor!!!
muito bem escrito!!

Rodrigo disse...

Bem...eu desisto de elogiar.
Mas não dá pra meter o pau em você (lá ele).
A única coisa que pesso pra tomar cuidado é com a variação. Ou a falta dela.
Você tá cada vez melhor e no meu ver, da perfeição se tira muitos resultados. Você está no começo e tem tudo pra chegar ao topo.

Je t'adore.

X*******************************X

Rodrigo disse...

e eu sou um flamingo rosa, agora!
_o\_L

Fabio disse...

Eu como leitor de muita coisa posso avaliar com meu atual (e mísero) respaldo técnico, que você não deve nada a nenhuma contista contemporânea. Só falta publicar. Esse é um típico conto acadêmico que os Linspectorianos e Virginianos vão adorar. Virei Fã!

maripwpf disse...

Que bom q vc está se descobrindo uma escritora.. e pelo pequeno pedaço que li, uma escritora muito boa!! Infelizmente n pude ler tudo por falta de tempo, mas assim q puder eu leio tudinho, prometo!!

bjuxxxx...

Joyce disse...

E eu to acompanhando tudo, e a cada poste me dá agonia de ler mais ¬¬ post todo dia faça o favor :D
Ou me dê logo seu livro pra eu ler.

Ta Show de bola!

=****** Francesinhaaa

Eliseu disse...

tu ta usando drogas, lendo kerouac e bukowski, ou ambas as opções?