segunda-feira, 30 de abril de 2007

F r a g m e n t o s ao vento.

Suspirou.


Apenas uma idéia que ficou para trás.


Atrás da mente
as coisas esquecidas se misturam



p a r t e m - s e




memórias p a r t i d a s.

Sonhos


N a d a


Nada além de memórias d i s s o l v i d a s.

5 comentários:

Rodrigo disse...

filosofou legal em...
:)
beijos

Eu Não tenho Ideia disse...

Concordo com o comentario do Rpz ae.
Filosofou muito bem.
Bons fragmentos.

=*

Lu disse...

Memórias partidas e dissolvidas..nem tem como procurá-las nos labirintos..elas morreram :/

Vespasiano disse...

Realmente, a inspiração dessa vez veio da mais profunda e enigmática filosofia!! Gostei das referências: A memória ou as memórias jamais morrem, elas cruzam o infinito para lhe ajudar ou te atormentar a depender do estado de sua alma...

Rafael Julio disse...

Olá, querida
nossa
pequeno e profundo
heeheehheh
:)

gostei desse post
mt
depois passa no meu?
bjs, linda