domingo, 6 de maio de 2007

Não precisa pensar a respeito.

Como (quase) todo domingo pela manhã fui até o outro lado da cidade, pra ouvir música boa e encontrar gente melhor ainda. O caminho é longo, mas como (quase) toda estrada longa a percorrer, a recompensa é boa.
No ônibus, sempre procuro sentar na frente, na janela. Gosto de ir observando as ruas – algumas até já conheço de cor - enquanto escuto música. Não poderia dizer que foi a primeira vez, mas dessa última pude ver algo realmente surreal.
Por ali pelo Rio Vermelho, algumas casas grandes ou prédios, têm muros com aberturas projetadas para acumular lixo. Eu estava dentro do ônibus, estava só ali passando. Por alguns segundos, enquanto o ônibus estava parado, eu vi, dentro de uma daquelas aberturas, um homem deitado. Ele estava encolhido, dividindo espaço com o lixo que possivelmente teria sido afastado por ele.
Aquilo não me fez refletir. Eu já refleti tanto na vida, que agora só me resta a dor da cena. Mas, aqueles olhos. Por Deus! Ele estava de olhos abertos. Olhos de vidro presos em pensamentos. Seria etéreo se não tivesse tanto lixo. Aquele corpo sujo, jogado, contraído. Tão triste, magro e sofrido. Era aquilo que eu via nos olhos empedrados daquele homem.
Magicamente começou a tocar Zombie do Cranberries. E então eu entendi o que havia acontecido. Entendi tudo quando eles cantaram “in your head, in your head they are dying”. Afinal o que seriam eles, para o resto da sociedade, além de pessoas esquecidas? O que seriam eles, ali jogados, além de lixo?

6 comentários:

Lu disse...

Uma forma bem objetiva de expressar cenas do cotidiano. Gostei ^^ Eu observo MUITO o que se passa ao meu redor também. Muito dura a realidade contida desse texto. Nada, além de lixo. Um indigente. Por isso que digo..a vida é bruta :/

Mariana disse...

Para os ótarios que moram ali e passam com os seus cachorros e ainda cagam do lado, esse pobre homem e o lixo é a mesma coisa.

Eu não consigo parar de refletir sobre isso.

bibian disse...

Axo que vc escreveu uma coisa q eu mais gostod e fazer, fotos de pessoas excluídas. Perfeitamente simples.

adoro!

Rafael Julio disse...

infelizmente é assim msm q essas pessoas são tratadas pela sociedade.
dá pena msm
parabéns, menina
arrebentou
depois passa no meu ok?
bjs

Charlie disse...

Brilliant.

Just brilliant.

Muito tocante. Pra refletir mesmo..

Keep on fighting for the right reasons!

:*******

Túlio Carapiá disse...

Adorei o texto.... parabéns!